Que bom receber você!

Nós somos a equipe do Evita Dengue, um projeto de pesquisa, educação e prevenção. O projeto Evita Dengue é financiado pelo NIH – National Institute of Allergy and Infectious Diseases e desenvolvido pela UFMG no Brasil em parceria com as Universidades de Emory, Yale e Flórida dos Estados Unidos.

Para este projeto, além da pesquisa clínica, contamos com a colaboração dos Super LED.

Os Super LED

A Super Liga do Evita Dengue é composta por Super Crianças que usam o poder da Ciência no combate a arboviroses como a Dengue e outras. O conhecimento e o trabalho em equipe são o que fazem a diferença nessa Liga de Super-Herois.

O projeto Evita Dengue

O projeto Evita Dengue vai estudar, pelo período de quatro anos, casos de dengue próximo a escolas municipais de Belo Horizonte. Participarão deste estudo 58 escolas públicas da PBH, sendo convidadas 60 crianças de cada escola com idades entre 6 e 11 anos. Somente participarão as que concordarem e que os pais autorizarem.


Neste período, as crianças voluntárias serão avaliadas em relação à incidência de dengue e participarão de ações educativas em Dengue sob orientação de pesquisadores que estarão semanalmente nas escolas conversando, debatendo e esclarecendo dúvidas tanto das crianças quanto das famílias e toda comunidade escolar.

O que o projeto Evita Dengue vai avaliar

Antes deste estudo, será realizada a liberação de mosquitos Aedes aegypti com Wolbachia, pelas equipes da Prefeitura de BH em parceria com o WMP Brasil/Fiocruz – World Mosquito Program. Quando presente no Aedes aegypti, a Wolbachia não deixa o vírus da dengue se desenvolver bem, o que ajuda a reduzir a transmissão desta doença.

Como o projeto Evita Dengue vai ajudar

Portanto, o projeto Evita Dengue será uma estratégia inovadora de estudar mais uma forma de manter a doença controlada e as medidas adotadas neste estudo em conjunto com as medidas de prevenção da zoonoses podem ajudar.

Como VOCÊ pode ajudar

Todos os outros cuidados para eliminar focos do mosquito nos vários ambientes NUNCA podem parar. Assim como devem continuar as demais ações de controle do Aedes aegypti realizadas pela Gerência de Zoonoses da Prefeitura.